RSS

Arquivo mensal: maio 2011

>Se meu MENININHO fosse uma historinha…

>Está rolando um sorteio no blog menininhos “Se o seu MENININHO fosse uma historinha, como ela seria?” saiba mais aqui.

Não poderei participar porque não moro no brasil, mas a ideia acentuou minha criatividade, não sou boa em contos, mas vamos lá…

Príncipe Bruno


Era uma vez um menino…
Com suas madeixas douradas, pezinhos minusculos, esbarrando no nada.
Pegou a malinha e ainda muito pequeno juntamente com sua mamãe, ingressou no avião…
Sem saber ao certo o que lhe ocorria com muita alegria simpatizou-se com todos que iam.
Quando desceu do avião “Quanta neve meu irmão, procurar papai noel não é mole não!”
Sua mamãe sempre dizia que papai Noel se escondia na terra de bacalhau.
Em busca de seus presentes saiu contente, nesse mundão de Meu Deus!
Sua Mamãe com bravura, resolveu se aventurar, pois nessas bandas desconhecida um bebê sozinho não poderá andar.
Ao chegar ao seu destino, um senhor disse menino “papai noel mandou entregar”
No presente do bom velhinho estava escrito com carinho, venha me encontrar, moro onde tem felicidade, escola, alegria e sabedoria , já é hora de procurar…
Com um sorrisinho de apenas quatro dentinhos, disse baixinho “Não deve ser tão longe, pois os floquinhos de neve estão em todo lugar”.
 

>GUEST POST: A coragem de amar longe de casa.

>Estarei abrindo um espaço para que bons escritores apresentem seu guest post no meu blog…

Acredito que desse modo darei uma pequena contribuição para o desenvolvimento e crescimento de blogs que leio e admiro.

Para abrir meu projeto com chave de ouro, convidei a escritora do Blog Katralha- Tuka Siqueira.

Tuca Siqueira Nasceu em Porto Alegre, casada há 17 anos e meio com o Carlos, tem cinco lindos filhos. Portadora de Esclerose Múltipla , diariamente contribuem com suas experiências a fim de ajudar pessoa que vivem ou convivem com essa doença.

Ao convidá-la, Sugeri que escrevesse algo dentro do perfil do meu blog. Quem contribui seu tempo sendo leit@r do meu cantinho, sabe que falo de desenvolvimento infantil, família e vida no exterior(Noruega).

Ela sugeriu falar sobre mim o que me deixou muito feliz e quando li o texto, senti-me lisonjeada com tal homenagem…



Quando a Beth me convidou para escrever um guest post para o blog dela, logo pensei: que assunto mais fascinante do que escrever sobre… a Beth!
Acompanho o blog Meu filho minha vida!!! Já há algum tempo e pude testemunhar parte da sua história, acompanhar o crescimento do pequeno e fofo Bruno e também sua aflição e ansiedade com a mudança para a Noruega.
Muita gente deve pensar: “Ah, que aflição que nada! Vai morar no estrangeiro, quem não quer isso?” – Verdade. Acho que muita gente deseja mesmo isso, mas nem todo mundo tem coragem.
Pense bem, uma pessoa que é mãe de um bebê pequeno, sair do seu país, da proximidade com a sua família, de um lugar quente (ela morava na Bahia) e mudar-se de mala e cuia para um país distante, que fala uma língua estranha e ainda por cima é frio, é muita mudança.
É claro que ela pensou no bem estar do seu filho, que vai crescer num país de primeiro mundo, ele poderá estudar em boas escolas e ter muitos recursos que talvez não tivesse aqui no Brasil. Sem falar que criança se adapta fácil a qualquer mudança.t
Mas e ela? Vai se adaptar? Conseguirá aprender e se comunicar na língua local? Fará boas e sinceras amizades? Sentir-se-á segura, acolhida? Acredito que sim, pois ela me parece uma pessoa bem positiva e é jovem, tem energia e vontade, certamente aprenderá rápido, se adaptará e será feliz lá. Mas ela pensou em si mesma ao tomar essa decisão? Ou foi “levada” para a Noruega pelo amor que sente pelo marido e pelo filho, pensando mais no bem estar deles do que no seu próprio?
Essa é a questão que me causa maior admiração. Essa coragem de arriscar, de abandonar tudo o que significa segurança aqui e partir para uma vida nova ao lado do seu amor. Porque como já disse, acredito que ela vai ser muito feliz, mas para ela toda essa adaptação vai ser mais difícil, ela é quem vai ter que se moldar a esse novo ambiente, novas pessoas e situações.
Por isso Beth, fiz este texto em sua homenagem. Admiro tua coragem, tua determinação e o amor que demonstra sempre por teu marido e filho cujo testemunho tenho tido através das páginas do teu blog. Através de ti, homenageio outras mulheres e mães expatriadas, que tiveram a coragem e o desprendimento para partir nessa aventura de amar longe de casa.
Deixo aqui os meus votos de que tua adaptação seja rápida e que você seja muito feliz aí na Noruega, que o teu amor seja cada vez maior e que o Bruno cresça forte e feliz.
ps: Quer participar com seu guest post? Mande para meu e-mail elisacanto@yahoo.com.br estarei avaliando, quem sabe o seu texto não seja a minha próxima publicação?

 
5 Comentários

Publicado por em maio 29, 2011 em europa, familia, longe de casa

 

>Dia de faxina

>

Estava precisando fazer uma faxina em mim… Jogar alguns pensamentos indesejados para fora, lavar alguns tesouros que andavam meio enferrujados…

Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.

Joguei fora alguns sonhos, algumas ilusões… Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei; Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que não li. Olhei para meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas… E as coloquei num cantinho, bem arrumadas.

Fiquei sem paciência!… Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão: Paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste… Mas lá também havia outras coisas… e belas!

Um passarinho cantando na minha janela… aquela lua cor-de-prata, o pôr do sol!… Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças. Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.

Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou. Peguei aspalavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!

Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que farei com elas, se as esqueço lá mesmo ou se mando para o lixão.

Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante: o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos… como foi bom relembrar tudo aquilo!

Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança, passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixei-as à mostra, para não perdê-las de vista.

Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurada bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar… e de recomeçar…

Autor desconhecido

 
1 comentário

Publicado por em maio 25, 2011 em Uncategorized

 

>Mama Paparazzi.

>

Mamãe paparazzi assumida, ando de camera em punho, afinal registrar todo momento do meu filho não tem preço!

Bom domingo!









 

>Noruega a meus pequenos olhos.

>

Como muitos brasileiros amam enfatizar, realmente eu acabei de chegar à Noruega e tenho muitoooo que aprender, no entanto permanecerei a aprender, mesmo com dez, vinte ou mais anos de vivência, uma vez que na vida estamos sujeitos a aprendermos a todo tempo.

Estou engatinhando, aprendendo a cada novo passo…

Ao olhar os mulçumanos, somalianos, suecos e etc que vivem por essas bandas, me chega a curiosidade do que os trouxe aqui, foi por amor, condições de trabalhos, refugiados de guerra?

Todo imigrante tem suas particularidades, motivos oculto ao escolher seu novo país, sejam eles felizes ou não.

Quem acompanha minha história sabe que vim por amor, mas com quase um mês aqui, passei a ressaltar a qualidade de vida que temos. Meu filho irá crescerá em um ótimo ambiente, porque quando nos tornamos mães, passamos a caminhar envolto ao destino de nossos filhos.

Esqueci-me de mim? Claro que não, muito pelo contrário, passei a me enxergar melhor, passei a cuidar da minha mente, do meu corpo, pois consequentemente cuidarei com maior energia do meu pequeno. E haja energia!

A Noruega como quaisquer outros países do mundo tem seus problemas, desse modo o índice de imigrante que critica essa pátria que o recebeu de braços abertos é maior que o número de problemas. Sei que não devemos ser marionetes de ninguém e calar a boca em face de dificuldades, mas em qual lugar não tem seus erros? No entanto esse país que alguns preferem esnobar e cuspir no prato que comeu entra no Ranque de um dos dez países mais honestos e com o melhor IDH do mundo. Isso não é boato, são fatos estatísticos.

Em apenas meus minúsculos vinte e cinco dias aqui, pude ver gigantescas evoluções e pautarei algumas para o conhecimento de quem vive na minha pátria amada BRASIL.

* Os postos de gasolina não tem frentista, o que significa que é você quem vai abastecer seu carro, pagamento com cartão de débito ou crédito pode ser efetuados diretamente na bomba (acho que é esse o nome daquela máquina).

* Sabe aquela história que europeu é frio? Pelo menos aqui na Noruega não procede, os noruegueses são educadíssimos, extrovertidos, sorridentes e o que é melhor abrem o coração para o calor do povo brasileiro.

* O papel higiênico é jogado diretamente no vaso sanitário, porque os tubos de encanação são grossos. “Demorei a acostumar, levei bronca de esposodex, por jogá-los no baldinho de lixo, reservado para outros fins, tais como absorventes higiênicos, por exemplo,”.

* Nas faixas de pedestres TODOS os carros param pra gente passar. Detalhe, aqui em Hammerfest não tem Semáforo. Na minha primeira travessia num cruzamento, saí correndo, afinal morei em SP, onde até nas calçadas era perigoso circular e esposodex disse: “Calma eles param” E param mesmo, sejam quantos forem ou em quais velocidades estiverem.

* As casas aqui tem um espaço exclusivo para guardar os casacos e os sapatos das visitas, pois ninguém entra calçado. Forma esperta de manter o ambiente limpo por mais tempo. Aqui em casa não funciona muito, porque tem o Bruno de plantão. Hehe

* Depois das 18h00min é ilegal vender bebidas alcóolicas na Noruega (Somente o governo tem autorização para vender “espíritos cachaça”), alguns mercados estão autorizados a vender cerveja. Nenhum estabelecimento comercial abre no domingo, nem os Shoppings (Apenas aquelas lojas dos postos de gasolina que tem várias iguarias para vender, mais são caras).

* As casas são quentinhas e apesar dos graus negativos lá fora, dá pra ficar de shortinho e regata (quem fala comigo no Skype sabe que digo a verdade), as construções, geralmente são de madeira, com aquecedores, todo ambiente é aquecido. Aqui no meu prédio o aquecedor é a base de água, tem uns canos em estratégicos que aquecem.

* Em todo lugar aceita cartão de crédito, ônibus urbano, taxi, e etc.

* As ruas são todas retas, o que facilita a transição de deficientes e carrinhos de bebês, vale também para mercados, shopping(todos com elevadores e rampas.

* Os carrinhos de bebês tem rodas gigantescas afim de aguentar o sobe desce em montanhas e a neve do inverno, tem alguns com tecidos térmico para manter o espaço do pequeno quentinho. O Bruno dorme que é uma beleza dentro dele.

* Garrafas pet, garrafas de água, garrafas de cerveja entre outras, são retornadas aos mercados, desse modo o valor é devolvido em dinheiro, tem garrafinhas que valem 3,00kr(9 reais). Na nossa última devolução recebemos 50,00 kr. E o interessante que essa devolução é moderna, você vai depositando os utensílios na máquina que lê o código de barra e devolve um cupom, onde você opta receber em dinheiro ou deduzir no valor da compra no mercado. Conceito genial, uma forma interessante de contribuir com a natureza ganhando moedonas..hehe

* Não compramos água mineral e não utilizamos filtro, bebemos água diretamente das torneiras. A qualidade da água na Noruega é mais adequada e a água de torneira é potável sempre (exceto em barcos, trens, etc.).Maridex afirma que ela vem diretamente da montanha, por isso fica tão geladinha. A higiene nas cozinhas pública é muito boa, e intoxicações alimentares raramente acontecem.

* Cobertura de telefonia móvel é universal em áreas urbanas e geralmente também é bom na Noruega rural, embora na ocasião algumas áreas rurais do vale pode ser mal cobertos. Mesmo nas cabines da montanha mais remotas, enquanto eles são compostos, normalmente você vai ser capaz de enviar um cartão postal. As maiorias dos lares noruegueses estão ligados à Internet,, tornando difícil encontrar cibercafés fora das grandes cidades, devido a um mercado relativamente pequeno.

* Temos TV digital gratuita, com opção de comprar novos canais, como por exemplo, canais brasileiros como o da Globo. Mas posso vê-los em bons sites aqui na net

Em tempo real. Atualmente uso esse aqui.

Enfim, deixo essas dicas documentadas, quem sabe algum líder do governo as acatem para pequenas melhorias no nosso Brasil, afinal, capital e riquezas naturais temos de sobra.

 

>Aprendendo a falar.

>

Bruno vem correndo em minha direção e diz:

– Nhãm, nhãm…

Eu sem entender nada falo:

– O que foi filho?

Olhando-me com um sorriso maroto e um tanto impaciente mostra a mãozinha abrindo e fechando e repete:

– Nhãm, nhãm…

Sabe o que ele queria? Um pedaço do meu chocolate… hehe

Pegou o tablete na mãozinha olhou pra mim com apenas três dentinhos na boca e saiu gesticulando um hadet ( tradução: tchau em norueguês).

Vê-lo aprendendo novas expressões a cada dia, me dá forças para estudar o idioma, faz-me lembrar que errando agente aprende, observando, ouvindo, administramos conhecimentos, desse modo a cada dia aprendo tres ou quatro novas palavras.

Imaginem que Matematicamente falando isso significa que se eu memorizar apenas 4 palavras por dia, em um ano terei conhecido 1460 novas palavras.

Hoje participei da entrevista que decidirá em qual nível de estudo me encaixarei, como o ano letivo aqui na Noruega finaliza em Junho, desse modo iniciarei o meu curso no final de agosto.

Até essa data, ficarei estudando no livemocha, que a propósito é muito bom, maridex aprovou a didática e tudo o mais.

Sei que as palavras que aprendi estão longe de me fazer uma falante fluente do idioma norueguês, mas já irá me dando uma noção da fonética.

Logo retornarei com mais novidades.

Takk for stoppskilt av “obrigada pela visita”

 

>Lenda do Troll- Um pouquinho da mitologia nórdica e um conto infantil.

>

Segundo a mitologia nórdica, trolls eram seres do mal, muito violentos e geravam o caos a fim de destruir a ordem do mundo e seu objetivo maior era roubar Freyja, a deusa da fertilidade, pois assim nem a terra geraria mais frutos e nem as mulheres gerariam mais filhos. Somente Thor e seu martelo mágico tinham o poder de destruir os trolls. Havia vários tipos de trolls, os que viviam sobre a terra, que podiam ser pequenos ou gigantes, geralmente de formas monstruosas, e os gigantes que viviam debaixo da Terra, geralmente mais perigosos e truculentos que os da superfície. Conta a mitologia, que certa vez Thor caiu em sono profundo, e quando acordou descobriu que seu poderoso martelo havia sido roubado pelos trolls e escondido 5Km abaixo da Terra, o preço do resgate do martelo, seria o casamento de um troll com Freya, Thor então tentou falar com a deusa que logicamente não aceitou o absurdo, então se travestiu de mulher para se casar com o troll. Durante a cerimônia, o martelo de Thor foi colocado no colo da “noiva”, que o tomou e destruiu os trolls que o cercavam e a terra voltou a florescer.

Lenda do Troll

Três cabrinhas estão indo ao topo da montanha para comer capim e ficar gordas, quando a primeira ovelha atravessa a ponte o Troll fica irritado com o barulho dos passos e diz:

“Quem ousa fazer barulho na minha ponte?”

E a primeira cabrinha responde:

“Sou só eu, uma pequena cabrinha, indo ao topo da montanha para comer bastante capim e ficar gorda”

“Eu vou matá-la e comê-la”, diz o Troll …

“Não senhor Troll, meu irmão está vindo logo atrás ele é muito maior e mais gordo!”, diz a primeira cabrinha.

“Tudo bem, então pode passar … eu vou comer seu irmão.”

E a primeira cabrinha vai embora. Logo em seguida vem a segunda cabrinha, que é maior e mais gorda do que a primeira.

“Quem ousa fazer barulho na minha ponte?”, diz o Troll para a segunda cabrinha.

“Sou apenas uma cabrinha indo ao topo da montanha comer capim e ficar gorda”

“Eu vou matá-la e comê-la”, diz o Troll para a segunda cabrinha…

“Não senhor Troll, meu irmão está vindo logo atrás ele é muito maior e mais gordo!”, diz a segunda cabrinha.

“Tudo bem, então pode passar … eu vou comer seu irmão.”

E a segunda cabrinha vai embora. Logo em seguida vem a terceira cabrinha muito maior e mais gorda que a segunda.

“Quem ousa fazer barulho na minha ponte?”, diz o Troll para a terceira cabrinha.

“Sou apenas uma cabrinha indo ao topo da montanha comer capim e ficar gorda”

“Eu vou matá-la e comê-la”, diz o Troll para a terceira cabrinha…

Mas, o Troll teve má sorte, a terceira cabra era maior e mais forte do que ele, e a terceira cabra matou o Troll que vivia embaixo daquela ponte.

E as cabrinhas viveram felizes para sempre!

PS: Esse conto fofissimo, eu encontrei no cantinho da Danii’s Stuffs.