RSS

Arquivo da categoria: brasileiros noruega

>Entrevista- A Noruega me abraçou, sim ou não? Com Camila Camargo Castro Hareide.

>

Nossa entrevistada de hoje no quadro a “Noruega me abraçou sim ou não?” é a autora blog Do mar à praia… Na Noruega. Camila Camargo Castro Hareide.
No seu blog ela conta suas experiências na noruega e dá várias dicas para quem quer explorar essa paraíso misterioso, para visitá-lo clique aqui.

2. Quantos anos você tem?

37 anos

3. Onde você nasceu e cresceu?

São Paulo

4. Há quanto tempo você reside na Noruega? Quando surgiu a ideia de mudar de região?

2 anos. Conheci meu marido traabalhando em navios de cruzeiro nos Estados Unidos, e quando resolvemos casar e desembarcar de vez, ponderamos um pouco sobre morar no Brasil ou aqui, e optamos pela Noruega pela qualidade de vida.

5. Como foi a sua adaptação no país logo depois da chegada?

Nos primeiros meses foi um pouco assustador, tinha receio de sair de casa sozinha e não conseguir me comunicar (mesmo falando inglês fluente). Mudei pra cá na primavera e meu primeiro verão foi a maior alegria. Os dias longos mexeram um pouco comigo, mas de resto posso dizer que me adaptei à tudo rápido: clima, comida, cultura… Nada é assim tão diferente pra mim…

6. Você mora sozinho ou com sua família na Noruega?

Com meu marido.

7. Você trabalha na Noruega? Em caso positivo, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor? Descreva um pouco de sua experiência:

Trabalho. Arrumei emprego nos primeiros 5 meses, e foi o primeiro lugar pra onde mandei currículo. Sou formada em Hotelaria, trabalhei com isso a vida toda, e aqui sigo o caminho da hotelaria (por enquanto). Minha experiência de 15 anos na área foi fundamental – e o inglês fluente também.

8. Durante esse tempo de estadia nessa terra dos Vikings cite cinco principais diferenças que você observou entre o Brasil e a Noruega (Prós e contras):

Difícil dizer prós e contras, porque há diferenças em todos os lugares. Mas as grandes vantagens que eu vejo aqui são segurança (sou paulistana, muito acostumada com violência, e aqui onde moro não existe quase isso), segurança social e legislação trabalhista que respeita os direitos dos cidadãos, e em função dessa segurança toda aqualidade de vida é enorme, os níveis de stress são bem mais baixos… Igualdade social e igualdade entre gênero e o respeito aos direitos civis são exemplo no mundo. Adoro isso. Ah, fora a natureza extraordinária e as paisagens de tirar o fôlego. Desvantagens: a pior e mais cara oferta de alimentos de toda a Europa, o sistema de saúde é bem aquém do esperado, e o custo de vida e os impostos são muito altos. E, memso com toda a garantia de direitos civis, há discriminação e racismo, como em todo o resto daEuropa. Mas no fim tudo se equilibra.

9. Como os brasileiros são vistos na Noruega? Você acredita, que existe preconceito, Eles respeitam os expatriados/imigrantes em geral?

Depende do lugar. Aqui na minha cidade não conheço nenhuma brasileira intimamente. Eu nunca sofri discriminação, mas já vi/ouvi coisas absurdas, inclusive de hóspedes do hotel. Mas ouço também pela cidade que em alguns setores (especialmente hotéis/restaurantes) os empregadores preferem estrangeiros, porque são mais trabalhadores do que os noruegueses. De outros brasileiros sei pouco, por isso não poso falar…

10. Você fala a língua Norueguesa? Você acredita que é importante aprender a língua local, ou dá pra se virar com o inglês?

Eu falo um norueguês básico, me viro em diferentes situações sem problemas. Eu me virei com o inlgês pra coisas mundanas da vida. Mas aqui na minha cidade, os mais velhos não falam inglês. Então fica difícil. E sim, aprender a língua é fundamental, e um mínimo de respeito pra com o país que você escolheu viver.

11. Sente saudades da família no Brasil e de outras iguarias?

Obviamente sinto uma saudade louca da minha família e amigos. Sinto uma falta enorme de feiras e sacolões repletos de frutas frescas e verduras, sinto falta de um bom bife, sinto falta dos bares e restaurantes paulistanos. Sinto falta da variedade de laticínios do Brasil (aqui há de muito boa qualidade, mas em pouca variedade), queijo branco, goiabada, um eventual pingado com pão na chapa de padaria, e das padarias em si. Sinto uma falta louca de tudo.

12. Você Pretende viver na Noruega para sempre?

Sempre brincamos que quando nos aposentarmos vamos viver no Brasil. Mas até lá ainda tem chão… Por hora nossa vida está aqui.

13. As maiorias dos brasileiros vão para o exterior atrás de melhores oportunidades de emprego, e consequentemente uma melhor qualidade de vida. No seu caso, qual o motivo que o levou a morar na Noruega?

O que que a gente não faz por amor? rsrsrs

14. Como você acha que teria sido a sua vida se não tivesse imigrado?

Não faço a menor idéia…

15. Periodicamente ouço dizer que a saúde na Noruega é precária e quem necessita de exames, tais como ultrassom, eletrocardiograma e etc., necessita esperar meses na fila, como no Brasil. Você já passou por isso? Descreva a sua satisfação:

Sim. Tive que fazer uma ressonância da coluna. Não levou meses, mas um mês e meio prafazer o exame. Mas na hora de pagar, eu nem acreditei no valor, uma mixaria. Então a demora é compensada pelo subsídio, e pra isso pagamos impostos altos. Ouço histórias horríveis. Aqui na minha cidade houve 16 casos de pacientes que foram diagnosticados com câncer echegaram a ter seus órgãos removidos, e depois descobriu-se que o diagnóstico inicial estava errado. Imagina! Pra quem dependia do sistema de sdaúde público no Brasil, acho que não tem tanta diferença. Mas pra quem pagava médico/hospital/laboratório privado, no Brasil existe muito mais competência. Quandio vou ao Brasil vou ao dentista, ginecologista e outros médicos que eventualmente precise, e se eu adoecer aqui, já disse pro marido que me leva pra Tromsø. Ao menos existe a opção de escolha, rsrsrs.

16. Você já tem passaporte Norueguês?

Não tenho e não estou nem pensando nisso. Não sei exatamente qual é o caso, mas se tiver que optar entre nacionalidade brasileira e norueguesa, serei sempre brasileiro. Com todas as consequências!

17. Resuma a Noruega em uma única palavra.

Tranquilidade…

18. Tem algum site, que gostaria de indicar, ou até mesmo seu blog pessoal, para que brasileiros tenha uma ideia de como é viver nesse país nórdico?

http://www.portalconsular.mre.gov.br/apoio/mundo/europa/reino-da-noruega/oslo – Embaixada do Brasil em Oslo

http://www.udi.no/ – Departamento de Imigração, com todas as informações pra visto

http://www.nokut.no/ – Pra quem pretende estudar na Noruega ou obter equivalência de diploma

http://www.noruega.org.br/ – Embaixada da Noruega no Brasil

http://wordpress.pretonobranco.no/?p=526 – Preto no Branco, jornal eletrônico da comunidade brasileira na Noruega

19. Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver na Noruega?

Que caiam na real e pensem que a vida de expatriado pode ser bem difícil. Que pesquisem bastante antes de tomarem o passo. Que se certifiquem de que o parceir@ é mesmo quem diz ser (tem muita guria que vira empregada de marido por aqui, ou ainda, que leva porrada e tals, a gente sempre ouve histórias). Que não pensem que vão almoçar caviar e salmão defumado todo dia, e vão ter vida de princesa. Trabalha-se muito por aqui, todo mundo dá duro, inclusive os norueugeses. E lembre-se sempre, o salário mágico terá de 20 a 36% de imposto descontado automaticamente todo mês.

20. Ouve-se dizer que o custo de vida e alimentação na Noruega é altíssimo, e que é impossível adquirir imóveis carros e outros pertences de valor a vista, qual a sua opinião a respeito?

Acho difícil que qualquer cidadão norueguês que ganhe entre 250 mil e 500 mil coroas ao ano consiga pagar um imóvel ou carro à vista. Todo mundo em geral tem empréstimo do banco (quando consegue). Por outro lado, ao menos aqui no meu pedaço, se você conseguir guardar cerca de 100 mil coroas, é fácil conseguir o empréstimo. Comprar casa à vista acho que só celebridade e o povo da indústria naval e pesqueira, ou gente como o Petter Stordalen, pra quem eu indiretamente trabalho, rsrsrs. Mas vive-se bem mesmo pagando empréstimo, desde que a família planeje as despesas.

Anúncios
 

>Entrevista- A Noruega me abraçou, sim ou não?

>

Entrevistando: Luciana Håland

Hoje, entra no ar o quadro “A Noruega me abraçou, sim ou não?”

Explicando melhor o Quadro:

há algum tempo venho recebendo e-mails de brasileiros interessados em saber como é a vida na Noruega, como também sou nova por estas bandas acabo não tendo muito que contar, desse modo resolvi convidar algumas brasileiras que moram aqui há mais tempo para enriquecer-nos com suas experiências.


Essa enquete será postada todas as segundas-feiras.

E é com muita alegria que recebemos a nossa primeira entrevistada.

Luciana Håland, Mora em Sandnes– Noruega, é autora do blog Pensamentos Desatados para conhecê-lo clique aqui.


Desde já quero agradecê-la pelo pronto atendimento e dedicação em mostrar-nos sua experiência de forma sincera (Respondeu o questionário rapidinho).

Veja entrevista:

2. Quantos anos você tem?

38 quase 39 anos.

3. Onde você nasceu e cresceu?

Eu nasci em Caicó, no interior do RN, aos 17 anos mudei pra Natal.

4. Há quanto tempo você reside na Noruega? Quando surgiu a ideia de mudar de região?

Resido na Noruega há 5 anos. Na verdade não surgiu uma ideia de mudar, mas de casar. Conheci meu marido pela internet, vim para cá em 2006, resolvemos casar depois de 15 dias e aqui fiquei.

5. Como foi a sua adaptação no país logo depois da chegada?

A adaptação foi fácil, normal. Cheguei na primavera, estava tudo lindo. Gosto daqui, gosto de frio, então não passo sufoco no inverno. Como qualquer coisa e gosto de novidades, faço amizades facilmente. A única coisa difícil mesmo é aprender norueguês.

6. Você mora sozinho ou com sua família na Noruega?

Eu moro com meu marido.

7. Você trabalha na Noruega? Em caso positivo, você mudou de área depois da saída do Brasil ou continua no mesmo setor? Descreva um pouco de sua experiência:

Não trabalho, mas sei que quando começar vou mudar de área. Era advogada no Brasil e aqui meu diploma não é 100% reconhecido, posso até tentar trabalhar nessa área, não como advogada, mas algo relativo ao direito, isso depois de dominar totalmente o norueguês, mas pretendo trabalhar com outras coisas, inclusive algo que não seja tão estressante, mas o que seria isso ainda não sei. Por enquanto estou estudando o que pode surgir de oportunidade.

8. Durante esse tempo de estadia nessa terra dos Vikings cite cinco principais diferenças que você observou entre o Brasil e a Noruega (Pós e contra):

Olha, essa parte é a mais complicada pois sou péssima em comparar, mas eu diria que o clima, claro, pois eu venho de uma região do Brasil bem quente e aqui é bem frio, acho positivo o clima daqui, pois detesto calor. Outra coisa é poder apreciar as quatro estações que são bem definidas, quer dizer, quase, pois na região da Noruega que moro os verões tem sido frios e chuvosos, vamos ver este ano.

Aqui a burocracia é mais fácil de lidar e mais ágil do que no Brasil.

Bom, não consigo chegar a cinco diferenças. Comida, pessoas e idioma não vale à pena mencionar porque comida a gente come em casa o que eu comia no Brasil, as comidas tradicionais norueguesas só rolam de vez em quando, assim como era no Brasil. Gente é igual em todo canto, gente boa, gente ruim, gente chata, legal… Por enquanto só tenho me deparado com noruegueses legais, mas já ouvi um tanto de histórias diferentes da minha. Idioma cada lugar tem o seu nem que seja repetido.

9. Como os brasileiros são vistos na Noruega? Você acredita, que existe preconceito, Eles respeitam os expatriados/imigrantes em geral

Eu acredito que os brasileiros são bem vistos aqui e que são respeitados sim, pelo menos os que se dão ao respeito. Preconceito existe em toda parte do mundo, assim como racismo, mas inclusive acho os noruegueses (os que conheço) muito abertos e nada racistas. Racismo mesmo eu presenciei e muito aqui na escola pra imigrantes, entre imigrantes, e realmente muito mais no Brasil do que aqui.

10. Você fala a língua Norueguesa? Você acredita que é importante aprender a língua local, ou dá pra se virar com o inglês?

Eu falo um norueguês básico, ainda muito longe de ser um bom norueguês e mais ainda do que um norueguês fluente. Dá pra se virar no inglês, mas se virar somente, porque pra trabalharmos na maioria dos casos eles exigem o norueguês, a não ser que a pessoa tenha uma especialização/qualificação que aqui seja muito necessária, como no caso de algumas engenharias, por exemplo, aí dá pra conseguir emprego somente com o inglês. Eu acho importantíssimo aprender a língua local, além de necessário, para trabalhar, para viver em sociedade, para entender o que está acontecendo ao nosso redor. Por mais boa vontade que os noruegueses tenham, chega uma hora que eles preferem falar a língua deles e não mais o inglês, nas reuniões sociais/festas, então para a gente não ficar boiando total e entrar muda e sair calada, o norueguês se faz necessário. Assim como quem tem filhos para acompanhar reuniões nas creches e escolas.

11. Sente saudades da família no Brasil e de outras iguarias?

Da família sim, clara, mas de iguarias não.

12. Você Pretende viver na Noruega para sempre?

Sim.

13. As maiorias dos brasileiros vão para o exterior atrás de melhores oportunidades de emprego, e consequentemente uma melhor qualidade de vida. No seu caso, qual o motivo que o levou a morar na Noruega?

O único motivo que me fez vir pra cá foi meu marido.

14. Como você acha que teria sido a sua vida se não tivesse imigrado?

Acho que hoje estaria ganhando mais do que quando vim pra cá, ou talvez feito um concurso público, quem sabe passado e seria funcionária pública. Morando sozinha e provavelmente solteira, pois no Brasil nunca achei ninguém que combinasse comigo, ninguém com quem eu realmente quisesse casar.

15. Periodicamente ouço dizer que a saúde na Noruega é precária e quem necessita de exames, tais como ultrassom, eletrocardiograma e etc., necessita esperar meses na fila, como no Brasil. Você já passou por isso? Descreva a sua satisfação:

Eu acredito que a saúde é precária no mundo todo, claro, em alguns lugares tendo dinheiro as coisas se resolvem mais facilmente, quando se dá pra resolver. Aqui, por enquanto, minha experiência tem sido muito positiva, mas a minha saúde é boa, isso ajuda. (risos). Sempre que quero marco consulta fácil no meu médico de base, sem demora, e todas as vezes que solicitei encaminhamento para especialista recebi resposta positiva. Ano passado de uma vez só fui encaminhada pra ginecologista, dermatologista e oftalmologista. Após uma semana eu recebi as cartas com as datas das consultas, o maior tempo de espera era de um mês. O oftalmologista eu desmarquei. No ginecologista faço sempre todos os exames necessários incluindo a ultrassonografia. Esse ano o meu médico de base já avisou que eu tenho que retornar em agosto para fazer um check-up, coisa que eu não fazia no Brasil, mas que ele me cobrou que eu fizesse anualmente.

Por outro lado, vejo vez ou outra nos jornais alguma matéria sobre problemas aqui, como pessoas que morrem antes de conseguirem um tratamento, falta de leitos em hospitais, demora em obterem exames e com isso agravamento da doença…Algo que choca levando em consideração a Noruega ser um país rico que poderia muito bem investir mais nesse setor. Dentista aqui é muito caro e não atende pelo setor público, assim como não há nenhum tipo de incentivo do governo para as medicinas alternativas, então é algo totalmente privado e caro.

16. Você já tem passaporte Norueguês?

Ainda não solicitei meu passaporte norueguês.

17. Resuma a Noruega em uma única palavra.

Calma.

18. Tem algum site, que gostaria de indicar, ou até mesmo seu blog pessoal, para que brasileiros tenha uma ideia de como é viver nesse país nórdico?

O meu blog eu escrevo pouco sobre a Noruega, quero mudar o foco, mas acredito que todos os outros blogs que conheço de meninas que moram aqui estão na sua lista. Sites eu não lembro de nenhum no momento.

19. Você tem sugestões ou dicas para pessoas que pretendem viver na Noruega?

Na Noruega ou em qualquer outro lugar do mundo, inclusive quando se mudam de uma cidade do Brasil pra outra… Seja paciente, curioso, aberto a novidades, simples. Não leve/traga na mala carência e arrogância, disso ninguém precisa muito menos num lugar novo. E não compare o atual com o que passou, principalmente depois de um ano, pode ter certeza que de lá de onde você veio tudo já mudou também. Não ache que vai arrasar e fazer sucesso de entrada porque os nativos são todos idiotas, digo isso porque uma vez ouvi de uma brasileira que ela ia pegar um emprego com um cargo alto porque ela tinha nível superior e os noruegueses eram desqualificados, bom, continua a busca e muitas vezes a realidade acaba frustrando e muito quem pensa assim. Também não ache que vai ser a gostosa ou o gostoso do pedaco porque acredita que norueguês é fraquinho e as norueguesas são feias e desengonçadas, bom, a realidade não é bem essa. Mas o principal acredito que é: se livre da carência.

20. Ouve-se dizer que o custo de vida e alimentação na Noruega é altíssimo, e que é impossível adquirir imóveis carros e outros pertences de valor a vista, qual a sua opinião a respeito?

O custo de vida é muito alto mesmo, mas no Brasil, pelo menos em Natal, o custo de vida é alto. Alimentação é muito cara, mas não dá pra fazermos economia nessa área, é importante nos alimentarmos bem, somos o que comemos. Tudo é caro, mas com equilíbrio dá sim para economizarmos e termos uma vida boa e sim, comprarmos imóveis, pelo menos a casa própria, pois é possível financiarmos, assim como no Brasil, e também carros, móveis, viagens, sem muitos exageros, claro.